Brazilian

A Poesia de Cartola

Angenor
Tive Sim
(Cartola)

Tive sim
Outro grande amor
Antes do seu
Tive sim
O que ela sonhava
Eram os meus sonhos
E assim
Íamos vivendo em paz
Nosso lar, em nosso lar
Sempre houve alegria
Eu vivia tão contente
Como contente ao teu lado estou
Tive sim
Mas comparar com teu amor
Seria o fim
E vou calar
Pois não pretendo, amor
Te magoar.

Tempos Idos
(Cartola/Carlos Cachaça)

Os tempos idos, nunca esquecidos
Trazem saudades ao recordar
É com tristeza que relembro
Coisas remotas que não vêm mais
Uma escola na Praça Onze
Testemunha ocular
E, perto dela uma balança
Onde os malandros iam sambar
Depois aos poucos, o nosso samba
Sem sentirmos se aprimorou
Pelos salões da sociedade
Sem cerimônia ele entrou
Já não pertence mais à Praça
Já não é samba de terreiro
Vitorioso ele partiu para o estrangeiro
E muito bem representado
Por inspirações de geniais artistas
O nosso samba, humilde samba
Foi de conquistas, em conquistas
Conseguiu penetrar no Municipal
Depois de percorrer todo o universo
Com a mesma roupagem que saiu daqui
Exibiu-se para a duquesa de Kent
No Itamarati

Tu vais ao Samba
(Cartola)

Pequena tu vais ao samba
Ver as línguas que falam de mim
Sem razão
Tu sabes que o mulato é sincero
E tem critério
E sabes meu leal procedimento
Como é
Podes perguntar e indagar
A quem quiser
Eu sou incapaz
De amar outra mulher
Eu não amo outra mulher
Porque eu não quero
Porque eu tenho amizade
A você
Sabes que o mulato é sincero
E tem critério até morrer.

Velho Estácio
(Cartola)

Muito velho, pobre velho,
Vem subindo a ladeira
Com a bengala na mão
É o velho, velho Estácio
Vem visitar a Mangueira
E trazer recordação
Professor chegaste a tempo
Pra dizer neste momento
Como podemos vencer
Me sinto mais animado
A Mangueira a seus cuidados
Vai à cidade descer.

Vou te contar Tintim por Tintim
(Cartola)

Eu fui tão maltratada
Foi tanta pancada
Que ele me deu
Que estou toda doída
Estou toda ferida
Ninguém me socorreu
Ninguém lá em casa apareceu
Mas eu vou ao distrito
Está mais do que visto
Isto não fica assim
Vou contar tintim por tintim
Tudo nele eu aturo
Menos tapas e murros
Isto não é para mim

Ele sai para a orgia
Passa três ou quatro dias
Sem me aparecer
Quando vem está zangado
Está contrariado
E eu não sei porquê

Mas eu agora vou saber
Eu sou tão camarada
A ele não falta nada
Ganha um terno por mês
Ainda agora pancada
Eu parei desta vez
Vou arranjar um português.



Visite também

Mulher Espiritu Imagens da Música Brasileira 20 Casos Exemplares Postais da Bahia


Mais uma iniciativa